Acreditei em meias palavras
Me fantasiei com sonhos
Me entreguei a uma ilusão,
Virei refém de sentimentos,
Sentimentos protegidos pelo tempo.
Contei os segundos para ser feliz
Mas a solidão se eternizou,
Me aprisionou junto da desilusão.
E enfim descobri
Que meus sonhos só existiam de olhos fechados.
Crenças no amor,
Descobertas que denunciavam a falsa crença.
Lágrimas...
Amargas lágrimas.
Adormeço profundamente
E quando acordo
Um lindo Anjo de asas douradas
Me entrega a esperança,
E me diz que acreditar no amor
É acreditar na verdadeira felicidade.
Seco as lágrimas
E cultivo o verdadeiro sorriso,
Sorriso é a felicidade presente
Crença verdadeira é a
Crença no Amor.



Comentários